It takes a great deal of History to produce a little History

Wednesday, May 10, 2006

CÓNIOS ?

Os etnónimos KUNETAS/KOUNEOUS/KONIOIS e os corónimos CONISTORGIS, CINETUM e CUNEO.
Uma revisão das fontes greco-romanas (430 a. C. a 370 d. C.).

Sobreviveram 25 referências em fontes da Antiguidade, correspondentes a 15 autores.
Apresenta-se neste post a sua compilação exaustiva, referindo o autor, época, bibliografia, étimo (transliterado e em caracteres gregos quando necessário) e contextos literários originais, em grego ou latim e respectiva tradução portuguesa.

Devido às limitações da formatação dos blogs as tabelas apresentam-se como imagens.

Etnónimos, por ordem alfabética

  • Cunienses......Cronografo de 354
  • Curetes........Pompeu Trogo (em Justino)
  • Cynetas........Avieno
  • Koniois........Políbio
  • Konnioi........Hipólito de Roma
  • Kouneous.......Apiano
  • Kunesioi.......Herodoro de Heracleia (em Estevão de Bizâncio)
  • Kunesioisi.....Heródoto
  • Kunetas........Heródoto
  • Kunetes........Heredoro de Heracleia (em Estevão de Bizâncio e Constantino VII)

Povoações

  • Conisturgim....Salústio
  • Konistorgei....Apiano
  • Konistorgin....Apiano
  • Konistorgis....Estrabão

Corónimos

  • Cuneo..........PompónioMela
  • Cuneus.........Pompónio Mela, Plínio
  • Cyneticum......Avieno
  • Cynetum........Avieno
  • Kouneon........Estrabão
  • Kuneticon......Heredoro de Heracleia (em Estevão de Bizâncio)

pág. 1

pág. 2

pág. 3

Conjectura de evolução linguística
O diagrama seguinte apresenta um modelo conjectural da evolução cronológica e linguística do etnónimo KUNETAS/KUNESIOI e dos corónimos associados, a partir das formas registadas nas fontes greco-romanas.
Chama-se a atenção dos leitores para o facto de ser um modelo experimental, não validado por filólogos credenciados.



Não sobreviveu nenhuma forma latina do etnónimo nas fontes. Apenas do corónimo CUNEUS, CUNEO, já do Império, mas compatível com a forma grega do etnónimo KOUNEOUS.
A forma CONII e a sua tradução CÓNIOS são uma invenção moderna baseada na forma grega KONIOIS.
De facto, a tradução de KUNETAS/CUNEUS em latim, sobretudo no plural, levanta delicados problemas aos autores latinos e posteriores latinistas, devido à enorme semelhança com cunni, no sentido obsceno de orgão sexual feminino (e, simultaneamente de coelho, dualismo semântico que ainda se mantém hoje em espanhol).
Avieno transforma o u grego em y, alterando o valor da vogal (CUNETAS > CINETAS).
O "Cronógrafo de 354" é mais cauteloso e traduz KONNIOI (em Hipólito) por CUNIENSES.
Os latinistas modernos preferem as formas CONII e CUNAEI, não documentadas nas fontes.
É possível que a forma indígena corrente no início da dominação romana fosse semelhante a *COUNEUS, o que justificaria as vocalizações CO-, COU- e CU- assim como os plurais helenizados em -IOIS e -EOUS e as formas latinas CUNE-US,-O.

3 comments:

  1. Uma revolução benvinda neste blogue! desfez-se o mistério do autor.
    a qualidade de sempre com utilidade acrescida. bem haja.

    ReplyDelete
  2. Nao posso deixar de manifestar a minha discordancia com a analise e conclusoes tao limitadas. Com efeito, o termo conio existe em nomes de acidentes geograficos em espanha e italia e modificado em franca e inglaterra. Por outro lado em todo o mundo encontramos o termo koni em montanhas e rios proximo de construcoes megaliticas e outras civilizacoes antigas. Dai o meu espanto um membro de estudos arqueologicos nao se aperceber da relacao e importancia do termo coni que significa civilizado.

    ReplyDelete
  3. Infelizmente, a maioria dos estudiosos da etno-geografia proto-histórica, em que eu modestamente me incluo, não foram iluminados pelo conhecimento transcendental, como sucedeu ao Cirilo.
    Nós, os não-iniciados, somos obrigados a seguir o árduo caminho do estudo das fontes e da avaliação arqueológica e filológica, acompanhando com atenção as polémicas entre pessoas mais sabedoras do que nós, com a ténue esperança de obter alguns rasgos de conhecimento ao longo de vidas inteiras de estudo.
    Penso que pessoas como o Cirilo deviam usar os seus dons de conhecimento instantâneo noutros lugares da internet: há um grande número de fóruns de espiritualismo, de nacionalismo-new age e de outros grupos de interesse onde serão certamente de grande pertinência.
    Não apago o seu comentário por respeito por si, que não pelas suas ideias, que me parecem alucinadas e para lá de qualquer discussão razoável. Agradeço-lhe assim que não volte a usar o meu blogue para esse efeito.

    ReplyDelete